Seminário discute governança e o papel do Estado no desenvolvimento regional

No segundo dia do VI Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional foi discutido Governança Regional: equidade x competitividade na mesa redonda 3 pela manhã. Participaram da mesa Sergio Kapron, da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Mario Volpe, do Dipartimento di Economia – Università Ca’ Foscari di Venezia – Itália, Luz Dary Rivera, da Universidad Bolivariana de Venezuela, e Nythamar Hilario Fernandes de Oliveira Junior, do Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia. Nythamar Oliveira demonstrou em sua fala a diferença entre o que queremos para uma sociedade mais justa e o que a sociedade atual oferece. Oliveira também questionou como diminuir a desigualdade para que ela não seja tão extrema. Para Sergio Kapron, estamos vivendo uma convergência de diversas crises, e a mais profunda delas seria a do capitalismo.  Por sua experiência com o modo que a crise europeia afetou a região do Vêneto na Itália, Mario Volpe acredita que não se pode pensar em desenvolvimento local sem considerar o global. Luz Rivera apresentou o plano de governo desenvolvido por Hugo Chávez e a postura anti neoliberalismo.

À tarde, o assunto tratado foi Desenvolvimento Regional: o papel do Estado. Os convidados para esta mesa redonda foram com Miguel Matteo, da Secretaria de Planejamento e Investimento Estratégico – Ministério do Planejamento, Ladislau Dowbor, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, e Saint-Clair Trindade, do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos/ Universidade Federal do Pará. A solução apresentada por Ladislau Dowbor para a crise é a reestruturação das governanças locais. Sobre o Planejamento Regional, Miguel Matteo afirma que mesmo que o assunto conquiste os cidadãos, não haveria recursos para colocá-lo em prática. Saint-Clair Trindade explicou que um dos problemas a nível local, é que muitas vezes o que se propõe como desenvolvimento não vai de encontro com a realidade do município.