Bernard Pecqueur: “A grande problemática das regiões é encontrar seu lugar no mundo”

12011488_10204854173226562_407556180_oCerca de 200 pessoas se reuniram no Anfiteatro da Universidade de Santa Cruz do Sul para a Conferência de abertura do VII Seminário Internacional sobre o Desenvolvimento Regional, com o pesquisador Bernard Pecqueur, da Université de Grenoble, França. As reflexões feitas na abertura foram ao encontro da temática proposta pelo evento, Globalização em tempos de regionalização – repercussões no território. Pecqueur abordou o que chamou a emergência da globalização e a problemática do desenvolvimento. O Seminário é uma promoção do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR).
A partir de uma contextualização histórica desde o surgimento do capitalismo à emergência da globalização, o conferencista de abertura defendeu a preservação do contexto geográfico e cultural e a especificidade do lugar como estratégias de desenvolvimento. Diferenciou a globalização de mundialização, por meio de uma abordagem conceitual, lembrando que a globalização gerou uma interdependência entre os lugares do mundo que os fragiliza diante do capital global. De acordo com Pecqueur, entre outras questões, a globalização leva à finitude dos recursos naturais, o que gera consequências globais. O pesquisador propõm às regiões que encontrem suas especificidades e produção como saídas para enfrentarem a globalização, de modo a se apropriarem de seu próprio destino.
Por fim, o conferencista afirmou que o desenvolvimento territorial leva à utilização dos atores na potencialização do local. Para ele, “a grande problemática das regiões é encontrar seu lugar no mundo”. A diferenciação, nesse sentido, deve ocorrer por meio da inovação cultural e social.

12008430_10204854172066533_1137056731_o

Abertura
As boas-vindas ao Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional foram dadas pela professora doutora Virgínia Elisabeta Etges, que destacou a presença de especialistas brasileiros e também de outros países. Sobre a temática proposta para o evento, Virgínia afirmou se tratar de uma perspectiva que fala da força dos movimentos globais que homogeneízam, mas também dos movimentos regionais, que resistem a esse poder da globalização.
Já a reitora da Universidade de Santa Cruz do Sul, Carmen Lúcia de Lima Helfer, ressaltou a consolidação do evento e do intercâmbio que ele faz entre os pesquisadores brasileiros com os de outros países, o que, de acordo com ela, potencializa as trocas de experiências. Enfatizou, ainda, o caráter interdisciplinar do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional da Unisc, primeiro na universidade.
O Seminário segue até sexta-feira, 11.

Texto: Vanessa Costa

Fotos: Elisangela Rudiger Johann